Cirurgia Cardíaca da Santa Casa de Marília completa 45 anos de história como referência regional


Cerca de 400 cirurgias cardíacas são realizadas por ano no hospital mariliense

O Serviço de Cirurgia Cardíaca da Santa Casa de Misericórdia de Marília completa 45 anos de história como referência regional. Mais de 16 mil pacientes já passaram por procedimentos cirúrgicos no coração durante este período.

“É motivo de muita alegria ver a Cirurgia Cardíaca ser referência para o SUS (Sistema Único de Saúde) para 62 municípios do DRS IX (Departamento Regional de Saúde), chegando a este alto nível de estrutura, equipamentos modernos e uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusiva que é a REC – Unidade de Recuperação Cardiológica”, enfatizou o médico cirurgião cardíaco, Rubens Tofano de Barros.

Cerca de 400 cirurgias cardíacas são realizadas por ano na Santa Casa de Marília, entre procedimentos cirúrgicos com circulação extracorpórea como colocação de pontes de safenas e trocas de válvulas, além de implantação de marcapasso.

Além do coordenador do serviço Rubens Tofano de Barros, compõem atualmente a equipe de médicos os também cirurgiões cardíacos Marcos Gradim Tiveron e Sérgio Marques Pereira; e o cardiologista clínico Eraldo Peloso.

A atuação da equipe multiprofissional, a revitalização do Centro Cirúrgico da Santa Casa de Marília e a Hemodinâmica com equipamentos de alta tecnologia são muito importantes para o sucesso do Serviço de Cirurgia Cardíaca da Santa Casa.

História

Em 1974, foi realizada a primeira cirurgia cardíaca na Santa Casa de Marília. Em um convênio com a Famema (Faculdade de Medicina de Marília), o médico Miguel Angel Mendoza Claros trouxe o renomado docente da USP (Universidade de São Paulo) Euryclides de Jesus Zerbini para fazer o procedimento inaugural, acompanhado dos profissionais da cardiologia Olavo Ribeiro Rodrigues e Antônio Carlos dos Santos.

Formado pela 5ª turma da Famema, Rubens Tofano de Barros iniciou, ainda acadêmico, trabalhando com o cirurgião vascular Nathanael Ribeiro de Melo, no final da década de 1970. Quando já atuava no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo, o profissional recebeu o convite para retornar à Santa Casa de Marília. Nesta época associou-se ao também cirurgião Antonio Penna e junto a um grupo de cardiologistas clínicos estruturaram o serviço que deu origem ao atual.

Na oportunidade, os pacientes da região de Marília tinham agendados seus procedimentos cirúrgicos para o HCor (Hospital do Coração), em São Paulo, enquanto se preparava a estrutura em Marília. Em abril de 1980, foi realizada a primeira cirurgia cardíaca com o serviço já implantado. “Faço questão de destacar a parceria com o meu amigo Antônio Penna, muito importante para a consolidação do nosso serviço”, mencionou Rubens Tofano de Barros.

A partir de então, foi iniciado um processo de evolução, tendo a neurologia e a nefrologia como grandes parceiros. O apoio irrestrito da Direção da Santa Casa, à época, foi muito importante, conforme relatos dos profissionais envolvidos neste processo.

“Aqui é minha vida. São mais de 40 anos atuando na Santa Casa de Marília. Não me arrependo de nada. Faria tudo de novo, só que hoje com mais experiência”, concluiu o cirurgião cardíaco.   






Fonte: Assessoria de Imprensa da Santa Casa
Comentarios do Facebook:



Links Úteis