Médico da Santa Casa de Marília orienta profissionais de municípios da região sobre a Covid-19


Videoconferência foi promovida pelo DRS IX (Departamento Regional de Saúde)

O médico intensivista que coordena a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Geral da Santa Casa de Misericórdia de Marília, Hugo Victor Coca Jimenez Carrasco, orientou profissionais da saúde de municípios atendidos pelo DRS IX (Departamento Regional de Saúde), em videoconferência promovida pela regional de saúde no último dia 7 de maio.

“Fizemos uma explanação sobre os aspectos gerais em relação à Covid-19: o que fazer com os doentes, como estratificar os riscos, quais procedimentos funcionam e os que não funcionam na prática e os remédios a serem utilizados, uma vez que alguns deles precisam ser bem avaliados”, enfatizou ele.

Hugo Carrasco lembrou da importância de preparar bem as equipes de atendimento ao paciente. “Alguns procedimentos precisam de treinamento adequado. É necessário que as pessoas simulem e treinem em seus hospitais todas as suas equipes. Isso ajuda muito. É uma situação em que estamos tendo algum tempo para nos preparar e devemos ser muitos rigorosos. As falhas que acontecem nos procedimentos colocam em risco os pacientes e os profissionais da saúde”, alertou. 

O envolvimento dos profissionais participantes da atividade foi destacado pelo médico intensivista da Santa Casa de Marília. “Orientamos estes profissionais no sentido de mostrar o que precisa ser feito. Recebemos perguntas muito interessantes, que conseguimos responder com as medidas que adotamos na Santa Casa, seguindo sempre os protocolos internacionais”.

Em relação às principais dúvidas, o médico da Santa Casa disse que em muitos lugares ainda falta o preparo adequado para receber a pessoa com o Coronavírus. “Sabemos que é difícil, mas estamos tendo este tempo para não atender os doentes correndo. Alguns locais ainda não têm a infraestrutura adequada. A ideia é preparar e dar segurança aos profissionais que vão trabalhar com este tipo de paciente. É importante que todos recebam as informações de forma filtrada, utilizando-se dados científicos e não pela internet, com qualquer coisa que seja noticiada. É necessário se informar constantemente, pois mudanças vêm acontecendo semanalmente”.

Sobre diagnóstico, Hugo Carrasco passou algumas ações que facilitam a vida dos médicos e ajudam a manter a segurança do paciente e dos profissionais de saúde. “Temos os kits para fazer os exames laboratoriais, mas existem opções que podem ajudar, como os métodos de imagem, a tomografia computadorizada, a ultrassonografia pulmonar, associadas à clínica. Tudo isso pode dar uma ideia muito boa do paciente que está começando a doença e ainda não tem o teste (laboratorial). Tem que aproveitar estas informações, de uma forma segura, para os profissionais, para a população e assim evitar a contaminação de outras pessoas. O diagnóstico precoce é muito importante para gerar o isolamento do paciente e da família”.

As medicações ainda devem ser prescritas com alguns cuidados, conforme o médico intensivista da Santa Casa de Marília. “Algumas funcionam mais ou menos e outras apresentam muitos riscos de efeitos colaterais. Mas isso muda muito. Estamos em constante contato e atualização com pessoas que trabalham em serviços de referência no Brasil e em outros países para conhecer boas práticas e evidências do que está funcionando melhor”. 






Fonte: Assessoria de Imprensa da Santa Casa
Comentarios do Facebook:



Links Úteis