Cihdott faz captação de rins e fígado com apoio de profissionais do HC e da Santa Casa de SJC


Avião da FAB (Força Aérea Brasileira) garantiu total suporte de logística


A Cihdott (Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes) da Santa Casa de Misericórdia de Marília realizou a captação de dois rins e um fígado, com o apoio de profissionais do HC (Hospital das Clínicas) de Marília e da Santa Casa de São José dos Campos, no último final de semana.

Paciente de 43 anos com aneurisma cerebral teve morte encefálica confirmada e com o aval da família, a equipe da Cihdott da Santa Casa de Marília deu início aos protocolos e condutas, seguindo a legislação vigente, para a captação dos órgãos.

As enfermeiras da Cihdott Micaele Cardoso, Érica Nunes, Kátia Bassini, Silvana Araújo e Alessandra Andrade, além do psicólogo Marcos Alves, participaram do processo de captação de órgãos, supervisionada pelo médico Luiz Henrique Stéfano e a coordenadora da Cihdott, Marisa Regina Stradioto. 

“Foi um procedimento diferente por conta da pandemia de Covid-19. Tivemos que aguardar o resultado do exame para iniciar os procedimentos para a captação de órgãos do paciente”, enfatizou a enfermeira da Cihdott, Micaele Cadoso

Após muita conversa com a família, prevaleceu a vontade do doador. “Estive na empresa em que ele trabalhava, há 3 anos e desde então os familiares disseram que foi manifestada a vontade dele em ser doador de órgãos. Ficamos satisfeitos em ver o resultado das nossas campanhas e da conscientização das pessoas em praticarem este ato de amor que salva a vida de outras pessoas”, enfatizou ela.

Micaele chamou a atenção para depoimento da sobrinha do doador. “Ela me disse que esta doação de órgãos dele transformou o choro em alegria”.

O médico da Santa Casa de São José dos Campos, André Gustavo dos Santos Pereira, coordenou a retirada de órgãos, auxiliado pelos médicos do Corpo Clínico da Santa Casa e do HC de Marília, André Capellozza e Renato Chambô.

A FAB (Força Aérea Brasileira) forneceu o avião para o transporte do fígado, levado para ser transplantado em paciente de Maringá, no Estado do Paraná. Vale lembrar o tempo entre a retirada e o transporte deste órgão não pode ultrapassar 8 horas para garantir o sucesso do procedimento.

Já os rins, podem ser transplantados em 48 horas e pacientes da região de Marília receberam estes órgãos captados.

Outras captações

Outras duas captações de múltiplos órgãos foram realizadas na Santa Casa de Marília este ano. A última delas aconteceu no dia 28 de fevereiro, com a captação de coração, fígado, dois rins e duas córneas, beneficiando total de seis pessoas. Paciente de 32 anos, vítima de AVC (Acidente Vascular Cerebral) Isquêmico, foi o doador na oportunidade.






Fonte: Assessoria de Imprensa
Comentarios do Facebook:



Links Úteis