Família adere ao McDia Feliz e conta como venceu o câncer




Lindinalva e Antônio Ortolan uniram forças para, simultaneamente, receber nova criança na família e salvar a vida de Lorrayne, estrela da campanha 2013 em Marília

Quem vê a comunicativa Lorrayne, de dez anos, com energia de sobra não imagina o que a família Barbosa Ortolan viveu há poucos anos. O câncer infantojuvenil, especificamente a Leucemia (uma das mais incidentes entre crianças e adolescentes) foi descoberto após uma série de sintomas, quando a menina tinha apenas dois anos e meio. Foi o início de um drama, que provocou indescritível sofrimento e transformou a família. Para eles, após a vitória sobre a doença, palavras como vida, morte e superação ganharam novos significados.

Lorrayne é filha do contador Antônio Augusto Ortolan, 58 anos, e da auxiliar de escritório Lindinalva Fiorini Barbosa, 45. A menina esperta, de olhar curioso, quebrou a rotina do casal e nos primeiros anos foi o principal motivo de alegria da família, até que a mãe começou a observar alguns sintomas. 

No princípio, o caso foi diagnosticado como anemia falciforme. “Minha filha tinha todas as características da doença, mas não respondia ao tratamento. Ficamos ainda mais preocupados quando começaram a surgir outros sintomas. Lorrayne não tinha energia para nada, teve febre altíssima e chegou a ficar estrábica, repentinamente”, conta a mãe.

O diagnóstico foi aprofundado e a preocupação inicial de Lindinalva e Antônio virou desespero, em setembro de 2005. Por se tratar de uma patologia de alto índice de mortalidade, a família temia a perda da menina. “O baque foi grande e nós não sabíamos praticamente nada sobre leucemia. Fomos ler, estudar, conversar com médicos, mas isso só depois de muita lágrima”, disse o pai.

A família contou com o profissionalismo de médicos experientes, que encaminharam Lorrayne rapidamente para a oncologia da Santa Casa de Marília, onde ela foi submetida a todos os procedimentos pelo SUS (Sistema Único de Saúde). 

Lindinalva estava grávida. Em meio ao turbilhão, com o maior desafio da vida do casal, chegava a pequena Lara Fabian (hoje com sete anos). “Só passava uma coisa na minha cabeça: Deus vai me dar outra criança e vai levar a minha Lorrayne. Parecia um sinal. Tive que lutar contra essa sensação”, revela a auxiliar de escritório.

A segunda filha do casal já chegou ao mundo doadora de medula óssea, com a retirada e conservação do cordão umbilical. Era um alento, caso Lorrayne necessitasse do transplante, mas enfrentar a leucemia não é assim tão simples.

Foram dois anos de luta entre consultas, exames invasivos, hospitalização (devido aos sintomas após a quimioterapia) e todos os transtornos acarretados pela doença. Não havia indicação de transplante e a esperança persistia, com o ataque químico às células cancerígenas.

A permanência no hospital era difícil. Naqueles dias, a família Ortolan e a filha viram muitos pais chorarem nos corredores da oncologia. “Cada noite, era como se fosse a última. Minha filha melhorava um dia, outra criança ficava mal. No dia seguinte, era a Lorrayne que estava pior. Pela manhã chegava a notícia de que alguém havia partido”, lembra emocionado Antônio.

O pai conta que teria sido impossível vencer a leucemia sem espiritualidade, amor à família e apoio dos parentes e amigos. “A gente acaba descobrindo uma força que não sabia que tinha. Num dos dias mais difíceis, quando eu achei que ela (Lorrayne) ia partir, conversei com Deus. Disse a ele: senhor, se for levar a minha filha cuide muito dela, mas se me der uma chance, eu juro que vou cuidar dela e da minha família para o resto da minha vida”, conta Ortolan.

Os depoimentos de Antônio e Lindinalva são repetidos com emoção, na frente das filhas, que entre uma brincadeira e outra, ficam com o semblante sério. Lorrayne afirma que se lembra de tudo. Das crises, que a faziam gritar no leito e brigar com a equipe de enfermagem, dos amigos que partiram e dos momentos em que dava força para os pais. 

“Um dia a gente havia acabado de sair do hospital. Fomos para casa e eu estava preocupada com ela, por causa da reação aos medicamentos. Essa menina estava elétrica, falante, queria brincar, ligada em 220. Foram altos e baixos, com muito apego à vida, às pequenas coisas que não tem preço, o que realmente importa para ser feliz”, lembra a mãe.

Em visita à Santa Casa e à equipe de coordenação do McDia Feliz, Antônio, bem humorado, protetor, amigo, se une a Lindinalva, carinhosa, esperançosa e dedicada para apresentar a família que venceu o câncer. Eles se uniram, antes mesmo da alta médica de Lorrayne, para cumprir o juramento que Ortolan fez a Deus e querem multiplicar sorrisos. 

McDia Feliz – Desde 2000 a Santa Casa de Marília se une ao Instituto Ronald McDonald para multiplicar histórias como esta, por meio da campanha McDia Feliz. A arrecadação obtida com a venda do sanduíche Big Mac® é revertida (descontados alguns impostos) para a campanha.

Em edições anteriores, a mobilização já conseguiu implantar serviços de oncologia especializados, como a onco-oftalmologia pediátrica, além de reformas e melhorias no setor de atendimento infantojuvenil.

O McDia Feliz está próximo: é no próximo dia 31 de agosto.  A meta é dar sequência ao projeto do ano passado, com a aquisição de um terreno com localização adequada, para a futura sede do Gacch (Grupo de Apoio às Crianças com Câncer e Hemopatias). A entidade é um alento, principalmente para famílias carentes de fora de Marília, que não tem condições de pagar hospedagem, durante os prolongados tratamentos. Também ajuda aqueles que, sem a doença, já teriam dificuldades para suprir necessidades básicas, como a alimentação. 

Compartilhe – Lorrayne é o sorriso oficial da campanha McDia Feliz em Marília. Fotografada por Danilo Yde, o fotógrafo oficial de 2013, ela deve estampar cartazes, fotos, publicações em jornais e redes sociais. 

Os tíquetes antecipados, para troca pelo Big Mac®, são vendidos por R$ 11,50. As camisetas custam R$ 20. A campanha está aberta tanto para compra unitária quanto para parcerias com empresas. Ainda é possível patrocinar camisetas ou comprar lotes de tíquetes. Empresários ou pessoas físicas podem ainda participar adotando uma entidade assistencial, para receber os sanduíches no dia 31. 

Os interessados podem entrar em contato direto com a coordenação pelos telefones (14) 3402-5559. 3402-555 (ramal 5747). 

Trocando Big Mac® por sorrisos

A campanha McDia Feliz é um sucesso graças à participação fundamental de instituições, funcionários, franqueados e fornecedores, além da mobilização de cerca de 30 mil voluntários que incentivam a sociedade a abraçar a causa da luta contra o câncer infantojuvenil.

O McDia Feliz é o dia de maior movimento no ano nos restaurantes McDonald’s. Em 2012, foram vendidos mais de 1,6 milhão sanduíches Big Mac® em todo o país, o que contribuiu para a arrecadação recorde de R$ 18,3 milhões. Acesse www.mcdiafeliz.org.br e saiba mais sobre os 25 anos do McDia Feliz.

Sobre o Instituto Ronald McDonald e programas

O Instituto Ronald McDonald é uma instituição sem fins lucrativos cuja missão é promover a saúde e a qualidade de vida de crianças e adolescentes com câncer. Para isso, a organização desenvolve e coordena Programas - Diagnóstico Precoce, Atenção Integral, Espaço da Família e Casa Ronald McDonald - que possibilitam o diagnóstico precoce, encaminhamento adequado e atendimento integral e de qualidade para os jovens pacientes e seus familiares. As principais fontes de arrecadação do Instituto Ronald McDonald são o McDia Feliz – maior e mais abrangente campanha nacional no combate ao câncer infantojuvenil – e a Campanha dos Cofrinhos, iniciativa que conta com a doação de trocos dos clientes dos restaurantes McDonald’s. Com mais de dez anos de atuação, o Instituto Ronald McDonald articula diferentes agentes da causa e destina de recursos a projetos de construção e reforma de casas de apoio e unidades médicas, compra de equipamentos e veículos, capacitação profissional e apoio psicossocial a pacientes e familiares, entre muitos outros. Saiba mais sobre as fontes de arrecadação, os programas e as instituições beneficiadas em www.instituto-ronald.org.br.








Fonte: Assessoria de Imprensa
Comentarios do Facebook:



Links Úteis