Farmácia é reestruturada com transporte pneumático e leitor ótico


Soluções simples e criativas deram rapidez à distribuição de medicamentos entre os setores da Santa Casa de Misericórdia de Marília. Depois do sistema de transporte pneumático com tubo a vácuo, que interliga a farmácia à UTI (Unidade de Terapia Intensiva), a instituição implantou o leitor ótico para controle de fluxo de medicamentos.  As tecnologias são similares às utilizadas na indústria e comércio, para automação de processos e saída de produtos. A transposição da ideia para um hospital visa reduzir o tempo, para o fluxo de medicamentos.

Em apenas 37 segundos, uma cápsula impulsionada por ar em alta pressão percorre uma tubulação. Durante o tráfego do recipiente, o sistema fica totalmente vedado. Painéis eletrônicos nas duas extremidades sinalizam para os funcionários, sempre que há um novo pedido em andamento à farmácia, ou um medicamento a caminho da UTI.

O farmacêutico Rodrigo Grecca, responsável técnico pelo setor, explica que os funcionários da unidade intensiva não precisam mais se deslocar e aguardar atendimento pessoal no balcão, uma vantagem para ambos os setores. “É bom para eles (intensivistas), que ganham tempo para se dedicar à assistência ao paciente; também é bom para a nossa equipe, que atende com mais rapidez as prescrições”, afirma.

A instalação do transporte pneumático faz parte da reestruturação dos dois setores da Santa Casa. A UTI geral adulto e cardiológica (19 leitos) passaram por uma reforma completa com investimento de R$ 250 mil e foram reinauguradas no final do ano passado. Já a farmácia, acaba de passar por uma modernização no sistema. O fluxo de medicamentos e suprimentos agora é registrado por leitores óticos, o que facilita o acompanhamento do estoque e rastreamento de produto.

Os investimentos são necessários para atender, com qualidade, uma estrutura que não para de crescer. Em 2008, a farmácia atendia uma média mensal de 8.841 prescrições, número que saltou para 9.532 este ano.  A média de cirurgias também aumentou, de 540 por mês em 2008 para 728 em 2012. A dispensação de medicamentos e materiais segue o crescimento.

A farmácia da Santa Casa conta com três  farmacêuticos (um deles exclusivo para o setor de oncologia)e 36 colaboradores. Eles fazem a recepção, gerenciamento, armazenamento e distribuição das drogas e materiais. “É uma equipe que não pode falhar, porque daqui saem produtos essenciais para o atendimento prestado no hospital”, destaca Rodrigo Grecca.





Fonte: Assessoria de Imprensa
Comentarios do Facebook:



Links Úteis